GRAPHIA_seculo-camus-gde.jpg

LITERATURA brasileira

o século de camus

artigos para jornal | 1947-1955

LUCIA MIGUEL PEREIRA

Lucia, testemunha do século XX


A insensibilidade e a vacilação moral dos homens que acabavam de acompanhar a devastação da bomba atômica, no desfecho de uma grande guerra, atormentavam Lucia Miguel Pereira. A autora perfila-se, com o autor de O Estrangeiro, como "testemunha" destes tempos: a "mutilação do homem moderno, ninguém a desvendou como Albert Camus. Certo, é sempre arriscado predizer a duração das obras contemporâneas, mas se, mais tarde, alguém quiser saber como era o homem da era da bomba atômica, bastar-lhe-á ler esse escritor conciso e seco. E terá a visão de indivíduos sem ternura, sem vida interior, sem meios de sair de si", escreveu, na segunda metade dos anos 40. O contundente depoimento da escritora, cuja obra crítica dispersa já havia sido apresentada por esta editora em A Leitora e seus Personagens e em Escritos da Maturidade, orienta a seleção dos artigos reunidos neste novo volume - produzidos entre 1947 e 1955 para periódicos do Rio de Janeiro e de São Paulo, constituem importante contribuição para que se compreenda o percurso de uma das mais refinadas intelectuais do século XX.

Biógrafa de Machado de Assis e Gonçalves Dias, pesquisadora que revelou ao Brasil a obra até então ignorada de Manuel de Oliveira Paiva, historiadora, romancista e tradutora, Lucia reafirma, neste livro, a qualidade analítica já apontada nos volumes anteriores. Contemporânea de T. S. Eliot, Edmund Wilson, Henry James e George Orwell, autores que também pensaram a literatura em diálogo direto com as suas condições de produção e o ambiente político de sua circulação, ela expande suas leituras, antes concentradas na produção nacional - não sem deixar de dizer, por exemplo, que Memórias do Cárcere é a obra-prima de Graciliano Ramos – para se dedicar às criações de Jean-Paul Sartre, Albert Camus e Jean Genet. Com entusiasmo, registra o aparecimento de Graham Greene, Françoise Sagan e Simone Weil, além de retornar com frequência a Machado de Assis, André Gide e Marcel Proust. Teorizou sobre as dificuldades da tradução e sobre modos de ler, preocupada com a consolidação do público leitor. Mais de uma vez, recuperou histórias de personagens femininas - ficcionais ou não – iniciando um debate inédito sobre as questões de gênero que a morte precoce em acidente aéreo, no ano de 1959, interrompeu.


FICHA TÉCNICA
O SÉCULO DE CAMUS - Artigos para jornal – 1947-1955
Lucia Miguel Pereira
Introdução, seleção e notas de Luciana Viégas
Literatura brasileira – crítica
14x21cm
328 páginas - R$62,00
ISBN: 978-85-85277-73-4